Clínica do Bebê e da Família

Imagem que representa a profilaxia com bebê, através da psicoterapia
Acolhimento do bebê

Por acreditarmos que a qualidade de vida está na prevenção e na promoção da saúde desde a concepção, oferecemos assistência psicológica pré e pós-natal à mãe e à família  do bebê desde a concepção.

Nosso trabalho tem uma visão integral do desenvolvimento social e afetivo da criança por meio da interação pais-bebê, que oferece a possibilidade de atender as demandas emocionais que alguns bebês apresentam, inclusive logo após ao nascimento, bem como o reconhecimento do seu potencial social inato e do seu papel ativo já nas suas primeiras interações com os pais.

Muitas das explicações às manifestações físicas dos bebês tem relação com os vínculos afetivos entre eles e seus pais/cuidadores e estes podem implicar, inclusive, em prejuízo do seu desenvolvimento integral. Quanto mais precocemente lidamos com as questões emocionais, maior a eficácia da resposta terapêutica de prevenção a saúde integral, física e emocional do bebê e sua família.

Os bebês expressam seus sofrimentos psíquicos no corpo para se fazerem ouvir.

E como podemos ouvir e identificar estes sinais de sofrimento psíquico, fragilidades e dificuldades dos bebês?

  • Distúrbios somáticos: dificuldades digestivos, eczema, infecções, entre outros;
  • Adoecimentos recorrentes
  • Dificuldades na alimentação
  • Falta de interesse do cuidador: pais e outros
  • Pouca ou nenhuma interação no brincar,
  • Apatia
  • Não fixar o olhar

O que é?

A prevenção e cuidados com o recém-nascido permitem um momento de reflexão sobre as condições da gestação, parto e puerpério que estão implicadas na gravidez e nascimento.

Este trabalho enfoca a complexidade da assistência psicobiologica dentro de uma visão ecológica da gestação ao puerpério fortalecendo a importância da integridade do vínculo mãe-bebê. Dessa forma, busca-se uma intervenção sob a ótica da Biossistêmica e da Ecologia dos Sistemas Humanos ampliando o olhar para o momento do nascimento e os primeiros meses (momento ao mesmo tempo complexo e natural que o casal vivência), numa perspectiva sistêmica.

Como funciona:

O primeiro encontro se escuta os pais ou futuros pais em suas dúvidas, angustias e então se define o método terapêutico adequado a situação apresentada.

Os encontros terapêuticos, quer sejam individual ou grupal, pode acontecer uma vez por semana ou quinzenalmente, com duração de 50 minutos ou 90 minutos quando em grupos. A duração das sessões são determinadas de acordo com o tipo de trabalho a ser realizado com o bebê e sua família.

Um exemplo está  no trabalho profilático com a massagem da bioenergética suave, que trabalha o fluxo de energia vital e fortalece o vínculo pais/bebê. Ajuda nos primeiros meses em que a criança está se adaptando ao mundo exterior a aliviar as cólicas, a facilitar a amamentação, a acalmar e facilitar o repouso (sono). Esta massagem também é aplicada a gestante favorecendo uma gestação tranquila e um parto mais humanizado.

No caso de grupos, se faz uma entrevista com o casal, pais, mães ou futuros pais onde podemos conhecer um pouco sobre a família, angustias e suas necessidades atuais.

Pós-natal: indicações de Psicoterapia Pais/Bebê:

  • Distúrbio do sono no bebê e/ou mãe
  • Dificuldade de contato (relação mãe-bebê / pai/bebê)
  • Angustia de separação
  • Depressão pós-parto
  • Ansiedade
  • Depressão anaclítica (ocorre em bebês entre 6 e 18 meses)
  • Distúrbio do Comportamento do bebê: choro constante, dificuldade em dormir, dificuldade alimentar, ausência de contato/passividade, estado de tensão, agitação.
  • Serviços na Clínica do Bebê e da Família:

Grupo pré-natal e pós-natal:  visa facilitar o desenvolvimento de competências parentais e das capacidades relacionais do bebê, buscando promover um vínculo afetivo familiar consciente e harmonioso. Oferece esclarecimento sobre duvidas e mitos que cercam este período da vida. Além de ensinar técnicas que ajudam a diminuir a ansiedade, as cólicas, a insônia através da respiração, exercícios corporais, orientação nutricional e massagem.

Terapia pais-bebê: Nessa terapia o foco é o relacionamento entre os pais e o bebê e a maneira como esse relacionamento interfere na saúde do bebê. Nos encontros terapêuticos, procura-se estabelecer hábitos saudáveis que promovam o bom desenvolvimento social, emocional e cognitivo além de estreitar os laços entre o bebê e seu principal cuidador. Permitindo que a criança vivencie aspectos fundamentais para o desenvolvimento humano como a habilidade de regular os estados afetivos por meio da comunicação colaborativo com seus genitores para a construção de uma mente sadia.

Massagem para gestantes e bebês: promove o equilíbrio fisiológico, fortalece o vínculo entre bebê e seu principal cuidador, melhora a qualidade do sono, fortalece a capacidade imunológica, dissolve os estados de ansiedade, favorece o fluxo da energia vital.

INDICAÇÕES:

Alguns sinais de ansiedade, fragilidades e/ou dificuldades nas gestantes e nos futuros pais.

  • Receio de não poder oferecer os cuidados maternos: por ex. segurar, dar banho, amamentar, fazer a higiene/
  • Medo do parto
  • Dificuldades na alimentação (excesso ou falta de apetite)
  • Náuseas e vômitos constantes
  • Falta de interesse na organização da chegada do bebê
  • Pouca ou nenhuma interação com o bebê,
  • Apatia
  • Dificuldade no sono
  • Angustias pelas mudanças do corpo
  • Dificuldade afetiva e sexual do casal:
  • O companheiro sente-se fora da relação e se isola
  • Medo de machucar o bebê
  • Perda de interesse sexual
  • Medo de não ser atraente e desejada pelo parceiro